Cientistas recuperam mandíbula de cachorro em procedimento revolucionário

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Twitter

Pesquisadores descobriram como recuperar o maxilar de um cão em um estudo inovador que tem o potencial de mudar a medicina animal como a conhecemos.

Um engenheiro biomédico e um cirurgião veterinário desenvolveram o procedimento inovador de substituição óssea enquanto trabalhavam como uma equipe de pesquisa de pós-doutorado.

Huey e Arzi colaboraram com o professor Frank Verstraete, da UC Davis, que chefiava o Serviço de Odontologia e Cirurgia Oral no hospital de ensino veterinário da escola para aperfeiçoar a técnica.

Um dos cães cuja vida será mudada para sempre é Whiskey, um cão Munsterlander de 10 anos de São Francisco

O proprietário do cachorro disse que o Whiskey de repente começou a ter dificuldades ao mastigar.

“Achei que ele tivesse um dente estragado”, explicou o proprietário, “o que seria surpreendente, porque ele praticamente come apenas ração, couve-flor e cenoura”.

Swierk, o dono do cachorro ficou chocado ao saber do veterinário de Whiskey que o culpado não era o dente de seu cão – era um câncer ósseo agressivo que havia chegado ao maxilar de Whiskey.

O veterinário então solicitou ao dono do cachorro que estava bastante preocupado, fosse ao Hospital Veterinário de Medicina Veterinária UC Davis William R. Pritchard, para que Whiskey seu cachorro pudesse fazer uma cirurgia e dar início ao tratamento de que precisaria para salvar sua vida.

Os cirurgiões removeram um tumor maligno do tamanho de um polegar e impediu o desenvolvimento do câncer

O tumor já tinha crescido tanto que metade da mandíbula inferior de Whiskey teve que ser removida junto com ele.

A cirurgia pode ter levado a uma má qualidade de vida do Whiskey, disse Verstraete à ABC News. “Ele não pode mais pegar uma bola, nem jogar cabo de guerra após esse procedimento”, explicou.

A segunda chance de Whiskey.

Graças ao procedimento de regeneração óssea desenvolvido pela equipe de pesquisa, a Whiskey teve uma segunda chance.

Primeiro, Arzi extraiu 2,5 polegadas do maxilar danificado do Whiskey. Ele então construiu uma ponte dentária de titânio feita de placas especiais e um tipo de material esponjoso infundido com proteínas que promovem e estimulam o crescimento ósseo. A ponte especial foi então inserida no local do defeito na mandíbula de Whiskey.

Os resultados foram visíveis logo após a cirurgia.

“Dentro de duas semanas após o procedimento, era possível sentir o osso se formando sob a pele e, em três meses, tínhamos osso novo com densidade muito semelhante à do osso nativo”, explicou o engenheiro.

Dos oito cães que foram tratados como parte do estudo experimental, o Whiskey teve o maior pedaço de osso removido e provaria ser o maior indicador de se o procedimento de regeneração óssea seria ou não um sucesso.

O procedimento de regeneração óssea foi um sucesso.

Os oito cães que receberam o procedimento se saíram tão bem depois que Huey e Arzi esperam expandir a técnica para uso em defeitos maiores do osso maxilar em outros cães, talvez abrindo caminho para as possibilidades de rebrota óssea para humanos.

Fontes: UCDavis.edu , Phys.org , ABC News , KTVU.com

MOSTRE ESSE ARTIGO PARA MAIS PESSOAS!

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no WhatsApp
Faça um Pin

VOCÊ TAMBÉM VAI QUERER DE LER SOBRE:

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

SIGA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK